10 coisas que você precisa saber sobre filhotes

Além de já ter atendido centenas de famílias que queriam começar com o pé direito na educação dos seus filhotes, recentemente trouxemos um para a nossa casa. Por isso resolvi compartilhar aqui 10 coisas sobre filhotes que aprendi.

Esse aprendizado foi baseado na minha experiência com os atendimentos e no convívio do dia a dia com a Momo aqui em casa para que você possa saber o que é normal e esperado de um filhote de cachorro.

1) Não sabem onde fazer xixi e cocô

Eles certamente errarão o local das necessidades se você não tomar cuidado. Sabendo disso, prepare o ambiente para evitar o erro e facilitar o acerto. Não puna os acidentes e não deixe de recompensar os acertos. Temos um artigo aqui no site falando sobre como ensinar o cão a fazer as necessidades no local correto.

Aqui por exemplo restringimos o espaço da Momo, assim diminuímos drasticamente os erros e aumentamos bastante a superfície do banheiro dela. No caso usamos plataformas de plástico e atualmente estamos com 3 plataformas, uma do lado da outra.

Isso porque percebi que ela está crescendo muito rápido e não tem muita noção do seu próprio tamanho e acabava errando a mira. Além disso, quando alguma plataforma já está muito suja, ela evita subir nela. Mas isso tudo só é possível entender se você entende o mínimo do comportamento do cachorro e passa a observar ao invés de julgar.

Sempre há uma razão para o cão errar o local das suas necessidades, o problema é que na maioria das vezes as pessoas não saberão identificar qual foi o motivo. Quanto mais você estuda sobre o assunto, maiores as chances de você entender o que está de fato acontecendo, caso contrário ficará só no “ele sabe onde fazer mas faz de propósito”.

2) Não sabem o que podem ou não destruir

Quanto mais opções de roedores à disposição, menores as chances de destruição. Isso não significa que você pode deixar tudo ao alcance dele. Prepare a casa assim como você prepararia para a chegada do bebê, retirando tudo que pode causar acidentes ou ser perigoso. Caso queira saber mais sobre destruição, veja essa live.

Digo isso por experiência própria. Apesar de termos diversos roedores naturais, roedores de nylon e flexíveis, ainda assim percebemos que a Momo procura coisas para morder. Principalmente porque a maioria dos brinquedos que estão disponíveis ela já enjoou ou não agrada mais ela.

Teve inclusive uma noite em que retiramos parte dos roedores rígidos, pois ninguém merece o filhote jogando um casco de boi pra cima de madrugada e acordando todo mundo. Nesse dia foi quando ela resolveu explorar o quarto e descobriu que é muito divertido destruir o rodapé de madeira e o forro de tecido da cama.

Erro de quem? Nosso, que não deixamos coisas interessantes disponíveis durante a madrugada. Passamos a fazer mais o rodízio de brinquedos e oferecer mais coisas que ela gosta e isso parou de ser um problema.

3) Precisam de um ambiente restrito e seguro

Da mesma forma que você não deveria deixar crianças sozinhas e livres pela casa sem supervisão, você também não deveria fazer isso com um filhote.

Esteja sempre supervisionando quando ele estiver solto e quando não puder, leve ele para sua suíte canina. Caso queira saber como incentivar a independência do cão, leia este artigo. Aqui a Momo fica praticamente 20 horas por dia dentro da suíte canina dela.

Ficar 20 horas na suíte canina é diferente de ficar 20 horas sem fazer nada. Durante o tempo em que ela está lá dentro, ela está tão cansada que fica dormindo ou então nos poucos momentos em que está acordada, afinal, os filhotes dormem por volta de 16 horas por dia, ela está brincando com seus roedores ou destruindo coisas que deixamos para ela.

As 4 horas que ela fica fora da suíte canina é quando ela está passeando, treinando, brincando ou fazendo alguma atividade conosco. Estamos o tempo todo supervisionando quando ela está solta, isto é, não tiramos os olhos dela por um minuto sequer. Caso contrário, certeza de que aprontaria alguma coisa, além de ser muito perigoso.

4) Exploram o mundo com a boca e mastigam tudo que veem

Não sei se você sabe, mas os filhotes são extremamente curiosos. E sabe qual é a forma com que eles descobrem e exploram coisas novas? Com a boca. Isso mesmo. O filhote vê uma sacola plástica voando, adivinha só o que ele faz? Corre lá pra morder a sacola.

E se passar um papel na frente dele? Corre lá pra morder o papel. E aquela pedra brilhante? Coloca na boca pra mastigar. Tudo é novidade pra eles e tudo eles querem experimentar para saber qual é o gosto daquilo e se é de comer ou não.

Grande parte dessas coisas eles vão colocar na boca, mastigar duas ou três vezes, ver que não é nada demais e cuspir. O problema é que muitos desesperam e tentam tirar da boca do filhote. É exatamente nesse momento que os problemas começam a surgir.

Se quer entender um pouco mais sobre o porquê você não deveria ficar tirando as coisas da boca do seu filhote, veja o vídeo abaixo:

Além desse problema do vídeo acima, tem a questão do cão ficar engolindo coisas não comestíveis. Comento sobre um caso de uma família que atendi em que o cão já tinha feito duas endoscopias para tirar uma máscara e uma meia do estômago do filhote, veja no vídeo abaixo.

5) São agitados por natureza e querem brincar

Se está esperando uma vida tranquila com um filhote em casa, tome muito cuidado. Chegar em casa cansado e ficar só deitado no sofá não faz mais parte da realidade de quem tem um filhote. Eles precisam de atenção e muitas, mas muitas atividades ao longo do dia.

Isso não significa que você precisa viver em função do filhote, afinal, todos nós precisamos trabalhar. Mas saiba que nos primeiros 6 meses você precisará de um esforço extra com esse filhote, não só para oferecer atividades para ele gastar suas energias, mas para ensinar tudo que é preciso.

Inclusive esse período é o mais importante da vida do filhote. É nele que ele aprenderá tudo aquilo que irá levar para o resto da vida. Falhar na socialização pode trazer sérios problemas no futuro, como um filhote medroso, inseguro e até mesmo reativo e agressivo com pessoas ou cães.

Veja essa publicação sobre 5 coisas que você pode apresentar ao seu filhote. Se você quer saber mais detalhes sobre tudo que é importante ensinar nessa fase e como ensinar tudo isso, estamos registrando e mostrando tudo no “Diário de um filhote” que é um dos cursos exclusivos para os alunos do curso Cão Popstar.

6) Precisam de suporte nos primeiros dias

Não se esqueça que você acabou de separa-lo da mãe e dos irmãos. Pegue leve nas primeiras noites e não deixe ele dormir sozinho.

Leve ele para dormir no seu quarto até que esteja totalmente adaptado à nova casa e sua nova família. Durante o dia, nas primeiras semanas, você vai incentivando o filhote a ficar sozinho (conforme orientações do artigo do item 3) e logo logo você não terá mais problemas em deixa-lo dormir sozinho.

Se a sua preocupação é de que o filhote vai precisar dormir pra sempre no quarto, fique tranquilo, isso não é verdade. Mas essa etapa é necessária para reduzir o estresse do filhote, seu e dos seus vizinhos, porque ninguém merece um filhote chorando a noite inteira, não é mesmo?

Se quer saber mais detalhes como fazer o filhote não ficar chorando a noite inteira, leia o artigo sobre esse assunto. Aqui com a Momo tomamos esses cuidados e não tivemos nenhuma noite de choros.

7) Precisam de uma rotina previsível de atividades diárias

Sabe qual eram os alunos que mais tinham dificuldades em lidar com um filhote em casa? Os alunos médicos. Não porque eles não tinham tempo, até tinham, mas o grande problema era a rotina. Muitos dos meus alunos médicos não tinham rotina nenhuma por conta dos plantões que faziam.

Então às vezes ficavam horas fora de casa e isso mudava toda semana o que impedia deles montaram uma rotina de atividades que se repetia todos os dias nos mesmos horários. E filhotes, assim como crianças, precisam de uma rotina previsível de atividades. Rotina é importante!

Todos os dias eles precisam fazer os mesmos tipos de atividades nos mesmos horários, parecem um reloginho. Tem horário para acordar, passear, treinar, brincar, comer, dormir e tudo isso se repete várias vezes ao dia.

Busque montar um cronograma de horários e atividades de acordo com as preferências do seu filhote e siga ele a risca, tenho certeza de que te ajudará muito. Pelo menos é isso o que estamos fazendo aqui, de segunda a segunda e vem dando muito certo.

8) Dê espaço para ele respirar e ser independente

Sabemos que o filhote é a grande atração da família e que todos querem ficar cuidando dele, mas não se esqueça que ele também precisa do seu espaço individual respeitado. Não comprometa o bem-estar e a independência do filhote por puro egoísmo.

Estabeleça horários para fazer as coisas com o filhote e nos outros momentos, deixe ele no cantinho dele para que ele possa descansar e fazer suas coisas sozinho. Tempo de descanso para um filhote é tão importante quanto, ou até mais importante que as próprias atividades.

Se deixássemos a Momo livre pela casa, como ficamos em casa o dia inteiro, ela estaria a todo momento querendo fazer algo conosco e não conseguiria de fato relaxar. Todas às vezes que eu fosse ao banheiro ela acabaria acordando e vindo atrás.

Isso é péssimo para mim e para ela, pois nenhum de nós dois teríamos sossego.

9) Muita atenção no que você está reforçando

Tenha consciência de que o filhote ainda pode ser pequeno, mas que um dia ele crescerá e tudo aquilo que ele está aprendendo, levará para o resto da vida.

Inclusive os pulos, latidos e puxões. Hoje pode parecer fofinho, mas quando ele estiver adulto, não será tanto assim. Saiba mais como os cães aprendem nesse vídeo aqui. Não se esqueça que desde o primeiro contato com o seu filhote ele está aprendendo.

Cada interação com um cachorro é uma oportunidade de treino. A questão é: você está sabendo usar isso a seu favor ou está usando contra você mesmo?

10 coisas sobre filhotes

10) Invista na educação preventiva

Até os 6 meses é quando eles mais aprendem. Conforme o filhote amadurece, as coisas vão ficando mais difíceis.

Esse é o melhor investimento que você pode fazer na vida dele. Não fique esperando as coisas melhorarem sozinhas com o tempo, muitas vezes não vai. O melhor caminho é o conhecimento e a prevenção. Caso esteja perdido e não sabe por onde começar, veja essa playlist do YouTube.

Se quer algo mais aprofundado e detalhado, recomendo que venha fazer parte do curso Cão Popstar, lá é o melhor lugar para você saber exatamente tudo que precisa fazer para começar com o pé direito para ter um cachorro feliz e educado para o resto da vida.

Pelo menos é o que estamos aplicando com a nossa filhote Momo e estamos registrando toda a evolução dela para mostrar que é possível e funciona.

Rafael Velozo

Rafael Velozo

É adestrador comportamentalista, fundador da Cão+Saudável e idealizador do Portal Cão+Saudável.
COMPARTILHE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
LEIA MAIS
DEIXE UM COMENTÁRIO