Viajar avião cachorro

Como viajar de avião com cachorro

Há série de exigências para viajar de avião com o seu cachorro e isso varia de acordo com a companhia aérea e se será um voo nacional ou internacional. A ideia deste artigo é falar da parte comportamental e de como você deve se preparar para o seu cachorro se estressar o mínimo possível ao viajar de avião.

 

Viajar de avião com cachorro na cabine ou compartimento de carga?

Para viajar com o cachorro dentro da cabine ele deve estar em uma caixa de transporte com as dimensões especificadas pela companhia aérea. Normalmente o peso total do cachorro mais a caixa de transporte não pode exceder 10 kg. Se por acaso você tem um cãozinho de pequeno porte, talvez essa seja a melhor opção.

Mas para cães de médio ou grande porte, só há a opção de transportá-lo no compartimento de carga. Lembrando que nem todas as companhias aéreas fazem esse tipo de transporte, então pesquise antes da viagem.

 

A parte comportamental é tão importante quanto a burocrática

Independente de onde o seu cachorro irá viajar no avião, você precisará adaptá-lo a permanecer na caixa de transporte. O problema é que a maioria das pessoas se preocupam com a parte burocrática (carteira de vacinação, CZI, CVI, atestados, laudos, etc.) mas esquecem da parte comportamental de que o cachorro precisa estar acostumado a esse tipo de transporte.

Deixar para acostumar o cão no dia da viagem é uma péssima ideia. Colocar o cão à força na caixa e liberá-lo apenas no destino final, também. Seu cão pode ficar traumatizado e até desenvolver um problema de separação mais sério pela experiência ruim.

Ou seja, talvez o seu cão ficava bem sozinho em casa, mas depois desse episódio ele passe a ter problemas com isso, então muito cuidado.

 

Como acostumar o cachorro na caixa de transporte

Antes de começarmos a adaptação, é importante se atentar à escolha da caixa de transporte. Para isso, siga rigorosamente as especificações e exigências da companhia aérea que realizará o transporte do seu cachorro. Já adianto que a exigência para caixas de transporte no compartimento de cargas é alta e o investimento também.

Eu particularmente gosto de dividir o processo de adaptação na caixa de transporte em 5 etapas:

  1. Associações positivas e local de referência.
  2. Entrar e sair da caixa.
  3. Permanência com a porta fechada.
  4. Movimentação e transporte.
  5. Pessoas e barulhos externos.

 

A seguir vou explicar como trabalhar cada uma dessas 5 etapas. É importante fazer nessa sequência, passando para a próxima etapa apenas quando já tiver concluído a etapa anterior.

 

1. Associações positivas e local de referência

A ideia aqui é que o seu cão passe a amar a caixa de transporte e deixe de ter receio desse novo objeto que surgiu dentro da sua casa. Para isso, recomendo que você faça três coisas a partir de agora:

  • Deixe a caixa de transporte disponível para o seu cachorro. Se ele tiver muito receio no início, você pode desmontá-la e deixar apenas a parte de baixo. Se o receio é moderado, só retire a portinha. E se o seu cão não ligou muito, pode deixar a caixa montada mas com a portinha aberta.
  • Ofereça todas as refeições do seu cão lá dentro da caixa, mas sem fechar ainda. Coloque o brinquedo recheado ou comedouro do seu cão lá no fundo para que ele vá se acostumando a comer ali naquele local e ao mesmo tempo associar a algo que ele gosta muito (comida).
  • Se quiser tornar o local mais aconchegante, você pode colocar lá dentro da caixa um paninho, caminha ou tapete que o seu cão já costuma usar. Isso se seu cão não é calorento, pois nesse caso pode ter o efeito contrário ao desejado.

De vez em quando esconda alguns petiscos lá dentro sem que seu cachorro veja. Surpresas agradáveis são bem-vindas e seu cão naturalmente passará a investigar mais a caixa de transporte.

 

2. Entrar e sair da caixa

Agora o seu cão já tem uma associação muito boa com esse lugar e já está começando a criar um local de referência. Os cães são animais que gostam de ficarem em locais apertadinhos. Isso porque eles se sentem mais seguros e protegidos nesses locais, é só observar como seu cão busca descansar em baixo da cama, cadeira, mesa, carro, etc.

Chegou então o momento de ensinar o cachorro a entrar e sair sob comando da caixa de transporte. Isso porque pode ser que você precise colocar e tirar o seu cachorro de dentro da caixa para poder viajar no avião e não queremos ter que forçá-lo a entrar, não é mesmo?

Para esse exercício você vai precisar separar vários petiscos que o seu cão gosta muito. Sente-se ao lado da caixa e jogue um petisco lá dentro. Quando seu cachorro entrar para pegar o petisco, você fala muito bem e joga outro. Se ele permanecer lá dentro, você continua jogando até que ele resolva sair sozinho ou após umas 4 recompensas.

Caso ele saia sozinho, você só repete tudo de novo. Mas se ele ficar lá, você fala “ok” e joga um petisco fora da caixa pra ele sair e faz tudo de novo. Faça isso umas 10 vezes ou por 2 minutos, o que acontecer primeiro. Dê um minuto de descanso e faça essa sequência mais duas vezes.

Se você repetir esse treino duas vezes no dia, em no máximo 3 dias o seu cão já estará entrando sozinho quando você está perto da caixa. Nessa hora você começa a fazer o mesmo exercício sem jogar nada lá dentro (esperando o cão entrar sozinho) e quando perceber que ele vai entrar, você fala o comando “caixa” para ele fazer a associação.

 

3. Permanência com a porta fechada

Até aqui o seu cão já está entrando sob comando e permanecendo lá até você liberar ele com o “ok”, mas isso tudo com a portinha sempre aberta. Chegou o momento de começar a fechar a porta. Para isso, vamos dividir o processo em etapas menores.

Peça para o seu cão entrar na caixa, encoste a porta, fale muito bem, entregue o petisco através da porta e logo depois já abra novamente. Repita esse processo mais 9 vezes ou por 2 minutos, o que acontecer primeiro. Faça essa sequência por mais duas vezes e finalize o treino.

Em outro momento, você começará a aumentar o tempo que a porta fica fechada antes de você entregar o petisco. Comece com 1 segundo e vá aumentando aos poucos, até conseguir com que a porta fique fechada por 5 minutos com uma recompensa apenas no final.

 

4. Movimentação e transporte

Chegamos na parte em que começamos a movimentar a caixa. Se você tem um cão pequeno, você pode começar a movimentar a caixa para cima e para baixo (levantando ela pela alça) e depois começar a acostumar o cão a ser deslocado de um cômodo para o outro.

Entretanto, se for um cão grande, você pode tentar arrastar a caixa ou colocá-la no carro e movimentar o carro aos poucos. Lembrando que todo o processo é feito de forma gradual, assim como nas etapas anteriores.

 

5. Pessoas e barulhos externos

Finalmente chegamos na última etapa que é deixar o treino mais próximo da realidade. Para isso você pode levar o seu cão em algum outro ambiente mais movimentado e fazer os treininhos com ele lá, seja os treinos de permanência ou até mesmo os de entrar e sair.

Ainda em casa você também pode acostumá-lo a ficar dentro da caixa com os barulhos externos como pessoas falando, barulho de aeroporto ou avião, etc. Dependendo do tamanho do seu cão, levá-lo a um restaurante pet friendly e deixá-lo na caixa de transporte pode ser uma ótima forma de simular esse tipo de situação.

Isso porque essa situação é muito parecida com o dia que você for viajar de avião com o seu cachorro na cabine. No caso do cachorro que será transportado no compartimento de carga é interessante acostumá-lo com a aproximação de pessoas estranhas da caixa e também a ficar longe de você (sem contato visual).

 

Agora é só aproveitar para viajar de avião com seu cachorro

Feito todo esse processo de adaptação, as chances do seu cachorro ficar traumatizado ou estressado na viagem são bem menores. Assim você consegue viajar sem peso na consciência pois sabe que fez o melhor para adaptar seu cãozinho a esse tipo de situação.

Algumas situações que podem dificultar esse processo:

  • Seu cão não estar acostumado a novos ambientes por conta de uma falha na socialização com pessoas, animais ou ambientes.
  • Ele já ter problemas de separação e não conseguir ficar longe de você ou sozinho.
  • Cãozinho muito inseguro e sensível a barulhos.

Se você tem algum desses problemas ou até mesmo quer um passo a passo mais detalhado dos treinos com vídeos e explicações, conheça o nosso curso on-line de adestramento do Portal Cão+Saudável. Temos várias alunas que já fizeram viagens nacionais e internacionais de avião e com certeza poderão compartilhar de suas experiências lá na nossa comunidade fechada de alunos.

Rafael Velozo

Rafael Velozo

É adestrador comportamentalista, fundador da Cão+Saudável e idealizador do Portal Cão+Saudável.
COMPARTILHE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
LEIA MAIS
DEIXE UM COMENTÁRIO

Se cadastre para ser lembrado. Aula ao vivo toda quarta às 20h!